2 de mai de 2012

Digna do meu ódio 2

Por que te amo tão pouco
Que até fico louco
Quando me tocas
E diz me amar

Por que és tão doentia
Venenosa como uma serpente
Que envolve e arrasa
O mais forte das nações

Por que tens tanta luxúria
Quando me envolve em injurias
És digna do meu ódio
Por perfurar meu gélido peito

Por que tu és como
Uma coruja maldita
 Que leva rancor e azar
Por onde passa

Nenhum comentário:

Postar um comentário