23 de mar de 2011

Pacto

Na mais escura das noites
uma sombra me seduz
suga minha frágil alma
e pras trevas me conduz

Numa noite tão obscura 
que nem mesmo a lua ousa brilhar
ouço uivos dos cães demoniacos
que voltaram a pairar

As portas infernais
abrem-se novamente
ao longe vejo demonios
livrando-se das correntes

avisto um exercito
com foices e espadas
e no meio deles 
vejo minha doce amada

Coberta por uma sombra
com olhos avermelhados
com brilhantes garras negras
e um demonio ao seu lado

Ao ve-la apos a morte
confesso ter ficado palido
apos meu doce sangue
ser sugado pelo diabo

Anjos e arcanjos
chegam pra batalha
com arco-flechas
espadas de luz e navalhas

Ao conseguir me aproximar
um pacto ela me afirma
passar a eternidade consigo
e ao seu mestre entrego a vida

A guerra se aproxima
do seu momento final
os anjos destroem os demonios
o bem vence o mal

As portas infernais
são fechadas e seladas
no mórbido fogo da eternidade
sofrerei com minha amada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário